Diagnóstico de HPV e CÂNCER BUCAL por Check upPreventivo Digital | Moreti Odontologia - Brasília
Cópia-de-câncer-1

Diagnóstico de HPV e CÂNCER BUCAL por Check upPreventivo Digital

Cópia de câncerQueremos chamar a atenção para um dado de extrema relevância, uma nova parcela da população está sendo acometida por essa terrível doença: o câncer bucal. Pacientes jovens, não tabajistas e que nunca imaginaram que poderiam ter câncer.

Tudo isso devido à relação entre HPV e CÂNCER BUCAL.

O HPV na boca ocorre devido à contaminação da mucosa bucal com o vírus, através do contato direto com lesões infetadas durante o sexo oral, por exemplo. As lesões do HPV na boca são mais frequentes na borda lateral da língua, lábios e céu da boca, mas qualquer área da superfície oral pode ser afetada.
O HPV na boca pode aumentar o risco de desenvolvimento do câncer oral e por isso assim que for diagnosticado deve-se iniciar o tratamento que pode ser feito com uso de pomadas, outras soluções, laser ou cirurgia. Geralmente, o HPV na boca tem cura, porém o seu tratamento deve ser feito de forma rigorosa e durante cerca de 2 anos.
Os sintomas de HPV na boca incluem o surgimento de pequenas lesões, parecidas com verrugas esbranquiçadas, que podem se juntar e formar placas. Estas pequenas feridas podem ser de cor branca, vermelha- clara ou ter a mesma cor da pele. Por vezes as lesões podem ser semelhantes a uma afta.
As verrugas do HPV na boca que são mais comuns no lábio se manifestam através de lesões que tem a base mais estreita, sendo longas, firmes e de cor clara, enquanto que o condiloma acuminado, que é mais comum através do sexo oral se manifesta através de uma única ferida um pouco mais horizontal, semelhante à couve-flor.
No entanto, um indivíduo pode conter o vírus HPV na boca e não apresentar sintomas porque nem sempre as lesões são vistas a ‘olho nu’, necessitando de, pelo menos, uma lupa médica para ser detectado.
O período de incubação do vírus HPV na boca pode varia entre 4 semanas a 1 ano.

O que fazer em caso de suspeita de lesão em boca:

Procure um dentista imediatamente, o exame mais eficiente para diagnóstico na boca é a associação entre  o CHECK UP PREVENTIVO DIGITAL (realizado através de uma câmera digital microscópica com poder de aumento de até 60 vezes) e a raspagem das lesões para citologia esfoliativa e/ou biópsia para identificar se realmente é HPV e de que tipo se trata, para poder indicar o tratamento mais adequado para cada caso.

Tratamento para curar o HPV na boca

O tratamento para HPV na boca depende do tipo de lesão que o indivíduo tem e pode variar através do uso de laser, cirurgia ou medicamentos como acidotricloro acético a 70 ou 90% ou interferon alpha, 2 vezes por semana, durante cerca de 3 meses.
Existem 24 tipos de HPV que podem afetar a região da boca, sendo que nem todos estão relacionados ao surgimento de câncer. Os tipos que possuem um maior risco de malignidade são: HPV 16, 18, 31, 33, 35 e 55; possuem médio risco: 45 e 52, e possuem baixo risco: 6, 11, 13 e 32.
Após o tratamento indicado é importante realizar outros exames para confirmar a eliminação das lesões, no entanto, é muito difícil eliminar o vírus do HPV do corpo e por isso, nem sempre pode-se dizer que o HPV tem cura, porque o vírus pode voltar a se manifestar após algum tempo.

Como acontece a transmissão do HPV

Um indivíduo que possui HPV na boca pode passar o vírus para outros através do beijo na boca e do contato íntimo oral, sempre que ele tiver feridas na boca, que possam ser vistas a olho nu ou não. No entanto, após o tratamento clínico e a comprovação de que já não existe nenhuma lesão na região, este risco é menor.
As causas do HPV na boca podem estar relacionadas com o contato pele a pele durante o sexo oral com parceiro infectado, quando a mãe passa para o filho através do parto normal.

 

FONTE: Tuasaúde Dra Sheila Sedicias

───
Posts Recentes

───
Conquiste o sorriso dos sonhos

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email
Open chat